Equipamentos

Processo com água de amônia

O processo de água amoniacal da CRANFOS usa a forte afinidade química da amônia para absorver extensivamente o dióxido de enxofre do gás de combustão, reduzindo-o até qualquer valor de emissão exigido, imposto pela autoridade local de controle de poluição.

Os óxidos de enxofre são absorvidos na seção de depuração de gás segundo as seguintes reações químicas:


  • SO2 + 2NH4 OH ↔ (NH4)2 SO3 + H20
  • SO3 + (NH4)2SO3 + H2O ↔ 2NH4HSO3
  • NH4H SO3 + NH3 ↔ (NH4)2SO3
  • SO3 + (NH4)2 SO3 ↔ (NH4)2SO4 + SO2
  • SO3 + (NH4)2 SO3 ↔ (NH4)2SO4 + SO2
  • 2(NH4)2SO3 + O2 ↔ (NH4)2SO4

O sub-produto é um fertilizante de alta qualidade – grau de sulfato de amônio.

Caminho do Gás de Combustão

O gás de combustão da caldeira é despoeirado antes de entrar nas seções de resfriamento rápido e depuração. A remoção de partículas precisa ser muito boa para minimizar as impurezas no subproduto sulfato de amônia.

O gás de combustão despoeirado entra na zona de resfriamento rápido onde é resfriado até a temperatura de saturação por um processo de aspersão de água. O gás de combustão despoeirado, esfriado e saturado passa então pelas seções de depuração seguindo a montante através de uma coluna de leito de enchimento de malha dupla, em contracorrente com solução depuradora. O intenso contato gás-líquido dentro do enchimento permite a completa absorção do SOx poluente.

O sistema FGD baseado na água amoniacal produz aerossóis de sal de amônio (partículas submicrônicas), quando o teor de SOx no gás de combustão é elevado (>1000 ppm). Para absorver estes aerossóis, um precipitador eletrostático úmido (WESP) é integrado no topo do depurador de gás. O WESP coleta todos os aerossóis contidos no gás limpos, evitando assim uma pluma visível na saída da chaminé.

O gás limpo isento de poeira, SOx poluente e aerossóis é agora descarregado para a atmosfera via chaminé (Figura abaixo).

Processo com Água de Amônia

Principais características da tecnologia


  • Absorção de SO2 até quaisquer valores de emissão impostos pelas regras do governo local
  • Absorção total de qualquer SO3 no gás de combustão
  • Nenhuma pluma visível na chaminé
  • Nenhuma água servida ou produtos de descarte
  • O subproduto é um fertilizante de grau comercial, de alta qualidade, o sulfato de amônio (SA)
  • Produção de sulfato de amônio isento de impurezas e/ou alternativamente, sulfato de amônio incluindo as impurezas contidas no gás de combustão i.é, partículas, HCl. HF, etc.
  • Baixo consumo de energia elétrica
  • Alta disponibilidade
  • Operação segura

Alta flexibilidade para adaptar a produção de fertilizante a exigências específicas do local e demanda do mercado:

  • SA líquido de concentração até 48% em peso
  • SA cristalino, tamanho de grão de 0,6 – 0,8 mm
  • SA compactado, tamanho de grão de 2 – 4 mm
  • Capacidade de mistura com outros fertilizantes.

Destaques do Processo

A tecnologia de FGD de última geração da CRANFOS, que foi desenvolvida para prevenir chuva ácida e poluição do ar ambiental, é entre os todos os outros processos o único sistema a produzir um subproduto valioso que é o fertilizante de sulfato de amônio prontamente comerciável.

Pela reação de 1 tonelada de amônia com duas toneladas de óxidos de enxofre, a planta de FGD produz aproximadamente quatro toneladas de sulfato de amônio.

Há uma demanda por sulfato de amônio por parte da indústria agrícola.

O fertilizante de sulfato de amônio é particularmente apropriado para fertilização de arroz, batata, beterraba de açúcar, ervilha, milho, trigo e pasto.

Sob certas condições, isto é, mudando dos caríssimos combustíveis de baixo teor de enxofre para combustíveis de alto teor de enxofre nas caldeiras já existentes, o processo de água amoniacal se torna muito atraente economicamente ao somar a renda da venda do sulfato de amônio às economias do custo do combustível. Quanto maior o teor de SO2 no gás de combustão tanto maior a produção do fertilizante e o fluxo de ganhos gerado.

A renda da venda do sulfato de amônio compensa, num período limitado de tempo, os custos de investimento.

As usinas elétricas equipadas com depuradores convencionais de cal/pedra calcárea podem ser convertidas em depuração com água amoniacal através do uso do mesmo equipamento, reduzindo desta forma os custos do investimento.